China suspende quarentena e nega discriminação

Por Royston Chan XANGAI (Reuters) - A China suspendeu uma quarentena de sete dias para os passageiros que chegaram a Xangai no mesmo voo que um mexicano contaminado pelo vírus H1N1, e as autoridades voltaram a negar que haja discriminação contra estrangeiros.

Reuters |

O Ministério da Saúde havia informado que os passageiros que estavam a bordo do voo Cidade do México-Xangai-Hong Kong, no último dia 1o, seriam liberados se não tivessem sintomas de gripe.

Um estudante mexicano criticou o tratamento dado pela China à questão, depois de deixar um hotel de Xangai onde havia ficado de quarentena depois de ter contato com pessoas que estavam no voo.

"Infelizmente acho que há muita ignorância a respeito disso, e as pessoas simplesmente reagiram sem saber como se é contaminado", disse a jornalistas Gerardo Santa Ana, que havia ido ao aeroporto apanhar um amigo.

"Acho que a China simplesmente reagiu mal. Em outros países não foi assim. É realmente triste. Amo a China e o povo chinês", afirmou ele.

O México acusou Pequim de discriminação e disse que o confinamento de seus cidadãos era "inaceitável" e "sem fundamento". Mas o governo chinês, que enfrentou a grave epidemia de Sars em 2003, defendeu as medidas.

"A quarentena não é uma medida discriminatória contra cidadãos estrangeiros", disse o chanceler Ma Zhaoxu a jornalistas. "Na verdade, a maioria das pessoas em quarentena é chinesa."

"A China é um país em desenvolvimento com uma população grande e densa. Com a dolorosa lição aprendida da Sars, estamos tomando as medidas necessárias não só para evitar que a gripe entre na China, mas também que se espalhe na Ásia."

Hong Kong, região autônoma da China, liberou na quinta-feira 28 pessoas que estavam no mesmo voo. Um grupo maior, com quase 300 indivíduos, permanece em um hotel e deve ser liberado na sexta-feira. O mexicano contaminado havia se hospedado nesse hotel.

"Estamos fazendo avaliações sanitárias diárias e estamos 100 por cento satisfeitos com sua forma, e eles agora podem prosseguir suas atividades", disse Thomas Tsang, coordenador do Centro de Proteção à Saúde.

O México elevou de 29 para 42 o número oficial de mortos pela nova doença, mas diz que o pior já passou. Restrições às atividades públicas e comerciais já foram suspensas.

A agência de notícias chinesa Xinhua disse que 25 estudantes canadenses também foram liberados da quarentena na localidade de Changchun (nordeste). Eles não apresentam sintomas da gripe, mas foram isolados no sábado, depois de chegarem de avião. O governo canadense exigiu explicações.

Um avião trazendo 98 chineses que estavam retidos no México chegou na quarta-feira a Xangai, e todas as pessoas a bordo terão de passar uma semana de quarentena, apesar de estarem aparentemente saudáveis.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG