China segue com temperaturas abaixo de zero

Pequim, 6 jan (EFE).- A onda de frio que atinge grande parte da China continuou hoje, levando a capital, Pequim, a registrar a temperatura mais baixa em 40 anos (16,7 graus abaixo de zero) enquanto os meteorologistas anunciam novas nevascas para os próximos dois dias, informou hoje a agência oficial Xinhua.

EFE |

Embora a capital chinesa tenha voltado progressivamente ao normal nos últimos dias, após registrar no domingo a maior nevasca em 60 anos, os especialistas anunciaram precipitações em forma de neve "entre leves e moderadas" dentro de dois dias, também em outras 11 divisões administrativas do país.

Essas precipitações que deixaram camadas de neve de até dez centímetros de espessura afetaram hoje, por exemplo, a província central de Hubei, onde é pouco comum este tipo de clima e onde as aulas foram suspensas.

Em Pequim, espera-se que a onda de frio continue nos próximos dez dias, nos quais os termômetros não devem passar dos 3 graus abaixo de zero.

As nevascas do fim de semana passado e de dias posteriores, especialmente no norte da China, levaram ao bloqueio de estradas, cancelamentos de milhares de voos e suspensão das aulas em Pequim e Tianjin.

Os problemas de transporte e abastecimento levaram a racionar a energia elétrica em lugares como a capital chinesa, onde foi limitada a oferta energética de supermercados, lojas de departamento e empresas.

Há dois anos, as piores nevascas no sul da China, que coincidiram com as férias pelo Ano Novo lunar, causaram um enorme caos nos transportes e na rede energética do país, uma situação que Pequim espera que não se repita nas festividades deste ano (por volta de 14 de fevereiro). EFE abc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG