China se opõe a documentário sobre ativista

Pequim - A China se opõe decididamente a que se projete um filme sobre a ativista política uigur Rebiya Kadeer em Taiwan, por causa do Festival de Cinema de Kaohsiung, disse um porta-voz do escritório do Conselho de Estado de Assuntos com Taiwan, segundo informou a agência Xinhua.

EFE |

Este porta-voz, não identificado, pediu aos organizadores do festival para não provocar problemas nas relações entre China e Taiwan com a projeção deste documentário.

O filme "The 10 Conditions of Love" sobre Rebiya Kadeer, está incluído na programação do Festival de Cinema de Kaoshiung, a segunda maior cidade de Taiwan.

A ativista política de etnia uigur Rebiya Kadeer, assinalada pelo governo chinês como instigadora das revoltas de Xinjiang, é a presidente do Congresso Mundial Uigur e vive exilada nos Estados Unidos desde 2004.

"Algumas forças em Kaohsiung insistiram em mostrar este filme, que distorce os fatos e embeleza os separatistas étnicos", lamentou o porta-voz.

Além disso, o funcionário ressaltou que "Rebiya Kadeer é uma separatista étnica, que organizou os distúrbios do dia 5 de julho em Urumqi que finalizaram com 197 mortos e mais de 1,7 mil feridos".

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinacinemataiwan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG