Autoridades do Tibete anunciaram o reforço da segurança em torno da equipe responsável por levar a chama olímpica ao Evereste em maio, para evitar qualquer incidente após os episódios de violência na região.

"O êxito da ascensão da chama olímpica ao Evereste tem um grande signficado. Porém, os separatistas da camarilha do Dalai Lama buscam agora uma oportunidade para sabotar sua passagem pelo Tibete e o Evereste", declarou Hao Peng, vice-secretário do Partido Comunista no Tibete.

Uma equipe de alpinistas será responsável por transportar a chama ao topo do Evereste.

Hao Peng, também vice-governador do Tibete, pediu ao Exército e à polícia muito cuidado e um reforço no trabalho para garantir a segurança.

A equipe de 31 alpinistas pretende levar em maio a tocha ao topo do Evereste (8.848 metros), que fica entre o Nepal e o Tibete chinês.

No lado sul da montanha, o Nepal também mobilizará o Exército para evitar protestos antichineses dos tibetanos.

frb/fpl

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.