China reconhece contaminação generalizada de rações

Um editorial publicado nesta sexta-feira pelo jornal estatal China Daily reconhece que é ampla a prática de adicionar melamina na ração animal feita no país. A afirmação está sendo vista como uma confissão velada do governo de que a cadeia alimentar pode estar amplamente contaminada pela substância química.

BBC Brasil |

"O fato de que melamina foi encontrada em ovos produzidos em granjas diferentes sugere que a contaminação não é acidental neste caso", reconheceu o veículo estatal.

"A indústria de rações parece ter consentido em concordar em utilizar o químico (melamina) para reduzir custos de produção e manter ao mesmo tempo a quantidade de proteína para as inspeções de qualidade", afirmava o editorial.

O reconhecimento da imprensa estatal vem em meio à crescente preocupação de que toda a cadeia alimentar esteja contaminada com a substância que causa doenças renais.

Contaminação
Na última semana, testes feitos pelo governo de Hong Kong mostraram que ovos de pelo menos quatro regiões da China testaram positivo para a presença excessiva de melamina.

Testes estão sendo conduzidos com amostras de carne, frango, porco e peixe para determinar a extensão da contaminação na cadeia alimentar.

Outras publicações do país já vinham pressionando Pequim a reconhecer que na China a prática de utilizar o aditivo é amplamente empregada.

Uma reportagem publicada na quinta-feira pelo diário Nanfang Daily afirma que é "um segredo aberto" da indústria alimentícia que restos de melamina descartados pelas empresas químicas são reembalados e revendidos como "proteína em pó", adicionada aos alimentos.

Também na quinta-feira o jornal Beijing News revelou que autoridades da província de Liaoning suspeitaram que os ovos contaminados produzidos na região eram causados pela ração adulterada, mas o caso foi encoberto.

Oficiais do partido emitiram ordens proibindo que a imprensa local investigasse ou reportasse sobre a contaminação dos ovos e da ração. A situação só veio à tona por que o governo de Hong Kong revelou.

Melamina
A substância melamina é um químico orgânico, encontrado na forma de cristais brancos ricos em nitrogênio. Ela é comumente utilizada na produção de plásticos, adesivos e fertilizantes, mas também serve para "enganar" testes de amostragem de proteína.

Em exames de controle de qualidade alimentar, altos níveis de nitrogênio podem sem interpretados como altos níveis de proteína, por isso a melamina funciona como uma "maquiagem" nesses casos.

Apesar de não ser altamente tóxica, se consumida em grandes quantidades por um longo tempo a substância pode causar doenças renais e até a morte.

Em setembro veio à tona que o leite em pó de diversos fabricantes do país estava contaminado com o químico.

Mais de 53 mil crianças foram diagnosticadas com doenças nos rins e pelo menos quatro bebês morreram após ingerir o leite contaminado.

O governo anunciou uma série de medidas para erradicar a prática de adulteração na indústria de laticínios, mas ainda não há regras ou legislação que supervisione outros setores da produção alimentar.

A presença de melamina em rações animais é um problema antigo.

Em agosto do ano passado milhares de gatos e cachorros morreram nos Estados Unidos depois de comer ração fabricada na China.

Milhares de peixes de cultivo também tiveram que ser destruídos após a descoberta de que eles estavam contaminados por ter consumido ração chinesa adulterada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG