China quer limpar Everest e restringir acesso de turistas

O governo da China anunciou que irá iniciar, no primeiro semestre de 2009, um esforço de limpeza para retirar centenas de toneladas de lixo deixadas por visitantes no monte Everest, informou nesta sexta-feira a agência de notícias estatal Xinhua. O governo pretende ainda restringir o acesso à montanha mais alta do mundo, localizada na fronteira entre a província chinesa do Tibete e o Nepal.

BBC Brasil |

Segundo estimativas oficiais, somente no ano passado, cerca de 40 mil turistas subiram o Everest pela face norte, que fica no território da China. Os visitantes teriam deixado para trás pelo menos 120 mil toneladas de lixo - uma média de três quilos por pessoa.

Grande parte dos detritos descartados pelos alpinistas são embalagens de alimentos, cilindros de oxigênio, roupas térmicas e equipamentos.

"O lixo abandonado representa um sério risco ao meio ambiente frágil da montanha", disse Zhang Yongze, diretor do departamento de Proteção Ambiental da Região Autônoma do Tibete ao jornal estatal China Daily.

Yongze coordenará os esforços de limpeza da montanha, que começarão nas proximidade do monastério de Rongbuk, a cerca de 5 mil metros de altitude e seguirão para áreas mais altas até, eventualmente, atingir o topo da montanha que tem mais de 8.800 metros de altura.

Restrição de acesso
O departamento de Proteção Ambiental da Região Autônoma do Tibete também espera conseguir diminuir a poluição do monte reduzindo o número de turistas que visitam a área anualmente.

"Nós precisamos limitar o número de pessoas que querem escalar o Everest, que desempenham um impacto negativo no meio ambiente. Nós também precisamos fortalecer o controle sobre as atividades comerciais na região" disse Yongze à Xinhua.

O diretor do departamento de Proteção Ambiental não revelou, porém, maiores detalhes sobre a restrição do acesso de visitantes a montanha, mas expressou interesse em ver o Tibete adotar uma legislação que promova essa limitação.

Zhang não chegou a especificar se o Everest será total ou parcialmente fechado aos turistas, nem a partir de quando a possível lei entrará em vigor.

Aquecimento global
O Everest também enfrenta a ação do aquecimento global. A geleira de Rongbuk, que fica no pé da montanha, já retrocedeu mais de 150 metros somente na última década.

Para proteger a geleira e incentivar economicamente a população local, desde 2003 é proibido subir de carro aos acampamentos na montanha.

Os alpinistas precisam contratar carregadores locais que transportam os equipamentos em animais.

Além disso, desde 2000 o departamento de Proteção Ambiental monitora a qualidade da água e do ar na montanha. Por enquanto, os níveis de poluição têm se mantido estáveis.

"É nossa responsabilidade garantir que cada gota de água que brota do Everest para as correntezas dos rios seja pura", afirmou Zhang.

O esforço de limpeza que entrará em ação em 2009 não será o primeiro a ser realizado no Everest.

Em maio passado, uma força tarefa de 500 pessoas que participaram da passagem da tocha Olímpica pelo topo do Everest ajudou a recolher 8 toneladas de lixo da montanha, informou a imprensa estatal chinesa.

Cerca de 34 mil quilômetros quadrados do monte são considerados zona de proteção ambiental desde 1988.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG