Os Estados Unidos teriam vantagens se ajudassem Pequim a lutar contra o aquecimento global, disse nesta quinta-feira o embaixador da China, Zhou Wenzhong, no contexto da conferência da ONU sobre o tema, que será realizada em dezembro deste ano.

Zhou Wenzhong declarou que a China precisa se concentrar no desenvolvimento industrial para tirar milhões de cidadãos da pobreza, mas que, ao mesmo tempo, não quer deixar de lado a luta contra a mudança climática.

Durante um debate na Brookings Institution, um importante think tank americano, o embaixador destacou um plano do governo de Pequim sobre a eficácia energética e as energias renováveis.

O embaixador destacou ainda que China e Estados Unidos, os dois maiores poluentes do planeta, tirariam vantagens se trabalhassem juntos e dessem o exemplo, antes da Conferência Internacional de Copenhague, prevista para o fim do ano.

"China e Estados Unidos têm interesses comuns e grandes campos de cooperação no que diz respeito à energia e ao aquecimento global", afirmou o diplomata.

Os Estados Unidos deveriam oferecer "suas tecnologias avançadas e sua experiência na eficácia energética e nas energias limpas", insistiu.

jit/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.