China proíbe venda de carne de cachorro durante Olimpíadas

A China proibiu a venda de carne de cachorro durante as Olimpíadas de Pequim para não ofender os turistas estrangeiros. De acordo com as autoridades chinesas, os 112 restaurantes oficiais dos jogos terão de excluir o prato de seus cardápios e sugerir pacientemente outras opções aos clientes.

BBC Brasil |

O restaurante que for flagrado desrespeitando a norma será incluído em uma lista negra, informou a agência de notícias estatal chinesa Xinhua.

"Se um dos clientes pedir carne de cachorro, os funcionários do restaurante deverão pacientemente sugerir outra opção", informou Xiong Yumei, diretor do Centro de Turismo de Pequim à Xinhua.

"A medida foi implementada para respeitar os hábitos de muitos países e nacionalidades", segundo fontes do departamento de alimentação municipal.

A carne de cachorro é popular no cardápio de vários restaurantes de culinária coreana presentes na capital chinesa.

Em províncias do sul do país, no entanto, como Yunnan e Guizhou, o prato já foi incorporado aos hábitos alimentares de milhares de chineses.

O correspondente da BBC em Pequim James Reynolds lembra que a medida faz parte de uma série de outras regras adotadas para evitar que os visitantes debochem ou se sintam ofendidos por alguns costumes chineses.

Além de proibir a carne de cachorro, as autoridades já pediram às pessoas que respeitem as filas, que não cuspam no chão e que sorriam.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG