China proíbe cantores de dublar em shows e programas de TV

O governo da China proibiu o uso de dublagem em apresentações públicas de cantores. A técnica é muito utilizada no país e consiste em tocar uma música pré-gravada durante uma apresentação, enquanto artistas e músicos fingem que estão tocando os instrumentos e cantando.

BBC Brasil |

A diretriz do Partido Comunista foi emitida em meados de novembro, mas agora, com a chegada das celebrações de fim de ano, as autoridades reforçaram a proibição, em particular na indústria do entretenimento.

Nesta quinta-feira, a imprensa local publicou uma reportagem revelando que inspetores do departamento que supervisiona a programação televisiva no país estão aumentando o controle sobre produtores de shows de TV para coibir a prática.

'Cantores de verdade'
De acordo com o site de notícias sobre a China www.china.org.cn, autoridades da Administração Estatal de Rádio, Filme e Televisão (SARFT, na sigla em inglês) reforçaram que os artistas que se apresentam nos shows de fim de ano precisam ser "cantores de verdade" e que as letras das músicas têm que ter um conteúdo "saudável".

"Primeiramente, tenha o 'cantar-de-verdade' como sua prática padrão e escolha apenas os artistas que podem realmente cantar. Ponha, firmemente, um ponto final à dublagem", afirmou o oficial da SARFT Zhao Huayong num comunicado publicado no site do departamento.

Segundo o governo, "usar canções e músicas pré-gravadas para substituir o canto ao vivo" é "enganar a audiência" e quem for pego dublando será "punido".

Uma nota divulgada pelo Ministério da Cultura anteriormente alerta que os artistas que forem flagrados desrespeitando a ordem repetidas vezes terão suspensa a sua licença profissional.

Polêmica
Ironicamente, o próprio governo se envolveu em uma polêmica sobre dublagem, em um episódio ocorrido durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, quando a menina Lin Miaoke dublou a canção Ode à Pátria, que na verdade havia sido pré-gravada por outra criança, Yang Peiyi.

Apesar de talentosa, Yang Peiyi não pôde subir ao palco por ser considerada "gordinha" pelos os organizadores do evento. Eles depois admitiram ter optado pela farsa para garantir a estética da cerimônia.

A imprensa e a opinião pública internacional criticaram fortemente o episódio, o que fez com que o governo comunista passasse a se posicionar contra o uso de dublagem em shows.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG