China prevê encontro com representante de Dalai Lama

A China prevê um encontro nos próximos dias com um representante de Dalai Lama, em resposta a um pedido neste sentido do líder tibetano no exílio e Prêmio Nobel da Paz, que saudou a oferta de Pequim.

AFP |

"Em vista dos repetidos pedidos por parte de Dalai Lama para uma retomada das conversações, os departamentos envolvidos do governo central manterão contatos e consultas com um representante privado do Dalai Lama nos próximos días", anunciou a agência oficial Xinhua (Nova China).

A agência não divulgou detalhes sobre a natureza do encontro, nem o nome dos participantes.

O anúncio foi feito no mesmo dia de um encontro das autoridades chinesas com líderes da União Européia (UE).

Clique na imagem e veja infográfico sobre o Tibete





Desde o início dos distúrbios no Tibete e nas regiões próximas, a UE e os Estados Unidos pedem a retomada do diálogo com Dalai Lamai.

O porta-voz do Dalai Lama na Índia, Tenzin Taklha, comentou o anúncio: "É um passo na direção correta, pois apenas encontros frente a frente podem levar a uma solução da questão tibetana".

A China acusa o Dalai Lamai de ter organizado os protestos no Tibete para sabotar os Jogos Olímpicos de Pequim, que acontecerão em agosto.

Na manhã desta sexta-feira, ao fim de um encontro com o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao, o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barros, expressou o desejo de "desenvolvimentos positivos" sobre a questão tibetana, além de ter reiterado a oposição da UE à independência do Tibete e a um boicote dos Jogos Olímpicos.

Barroso disse ainda ter solicitado à China um acesso livre ao Tibete tanto para a imprensa como para os turistas estrangeiros.

"Todo aquele que esteja interessado em uma melhor compreensão das realidades deveria permitir o acesso livre à imprensa", destacou.

Os dirigentes tibetanos no exílio afirmam que a repressão chinesa das recentes revoltas em Lhasa, capital do Tibete, deixaram mais de 150 mortos, mas a China acusa os "agitadores" tibetanos de terem matado 18 civis e dois policiais.



Saiba mais sobre: Tibete - China


    Leia tudo sobre: chinatibete

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG