China posiciona novos mísseis nos arredores de Taiwan

Taipé, 2 jul (EFE).- A China posicionou novos mísseis nas cercanias de Taiwan, que podem cobrir toda a área do Estreito de Formosa.

EFE |

Os novos mísseis antiaéreos S-300 PMU 3 têm alcance de 200 quilômetros, e podem derrubar aviões na zona, assinalam especialistas militares.

Um porta-voz do Ministério da Defesa de Taiwan disse que os militares da ilha já conheciam estes planos, e que não representam uma mudança importante no equilíbrio bélico entre ambas as partes.

Os militares taiuaneses acompanharão de perto o desenvolvimento das movimentações de mísseis chineses nas cercanias de Taiwan.

Em cerimônia militar, o presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, declarou que Taiwan não renunciará à aquisição de armamentos, apesar da melhora dos laços com a China, "pois deve preparar-se para qualquer eventualidade".

Ma assinalou que, embora a China mantenha mil mísseis apontados para a ilha, também é o principal destino das exportações taiuanesas, com um comércio bilateral total de US$ 130 bilhões no ano passado.

As relações entre China e Taiwan melhoraram sensivelmente com a chegada ao poder de Ma Ying-jeou, partidário de uma aproximação entre a ilha e China, mas as diferenças sobre o conflito de soberania não desapareceram por completo.

Taiwan se considera um estado soberano e independente, herdeiro da República da China, enquanto a China considera a ilha parte de seu território.

Taiwan se separou da China em 1949, quando o Governo da República da China, derrotado pelos comunistas, se refugiou na ilha. EFE flp/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG