China: policiais à paisana tentam impedir trabalho da imprensa

Pequim, 4 jun (EFE).- Policiais à paisana impediram hoje os jornalistas estrangeiros de gravar vídeos ou tirar fotos na Praça da Paz Celestial, local onde ocorreram os massacres que hoje completam 20 anos.

EFE |

Os policiais impediram que fossem registradas fotos dos soldados próximos ao famoso retrato de Mao Tsé-tung, como pôde comprovar a Agência Efe.

As medidas de segurança aumentaram para entrar na praça, com bolsas revistadas, análise de qualquer garrafa em posse dos visitantes, e o pedido de passaporte aos estrangeiros.

A praça, uma das atrações turísticas mais visitadas pelos chineses, não tinha hoje nenhum dos frequentes postos de fotografias de lembrança ou de bebidas, apesar do intenso calor.

No entanto, foi registrado um significativo aumento do número de policiais e de forças da ordem, além de furgões negros e automóveis sem matricula controlando todos os acessos e ruas próximas à praça.

EFE rat/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG