China pode ter 10 mil contaminados por leite tóxico

Por Chris Buckley PEQUIM (Reuters) - Províncias chinesas já relataram quase 10 mil casos adicionais de crianças com problemas renais depois de consumirem leite em pó e outros laticínios contaminados com a substância melamina nos últimos dias, disse a imprensa local na sexta-feira.

Reuters |

O escândalo foi parcialmente ofuscado na quinta-feira pelo lançamento da terceira missão espacial tripulada da China, que deve incluir a façanha tecnológica de uma saída ao espaço.

Mas o governo chinês continua empenhado em acalmar a opinião pública doméstica e internacional depois do incidente que já provocou quatro mortes de crianças.

A melamina é uma substância química comum, normalmente usada na indústria de plásticos, mas que também pode ser empregada para burlar exames da vigilância sanitária.

O Ministério da Saúde não divulgou cifras atualizadas do problema desde domingo, quando notificou que 12.892 crianças haviam sido hospitalizadas, sendo 104 em estado grave, e que quase 40 mil outras apresentaram sintomas menos sérios de contaminação.

Mas contagens mais recentes das autoridades provinciais mostram que pelo menos outros 9.959 casos foram diagnosticados nesta semana, especialmente em Hebei (norte), onde fica a sede dos laticínios Sanlu, fabricante do leite contaminado.

O Diário de Hebei (hbrb.hebnews.cn) disse que ao todo a província registrou 13.773 contaminações pelo leite até quinta-feira, aumento de 4.794 caso em relação a quatro dias antes.

Shao Mingli, diretor da Administração Estatal de Alimentos e Drogas, alertou seus funcionários de que o governo não vai tolerar tentativas de acobertar ou adiar a divulgação de novos casos. Sabe-se que autoridades locais passaram pelo menos um mês - talvez mais - sem divulgar que o leite em pó da Sanlu estava sob suspeita.

"Sob quaisquer circunstâncias se façam de surdos às queixas e finjam que elas não existem", disse Shao em uma reunião com funcionários, segundo transcrição do discurso divulgada no site oficial da agência (www.sda.gov.cn).

(Reportagem adicional de James Pomfret e Tan Ee Lyn em Hong Kong, Judith Evans em Male, Gina Chang em Taipei e Liu Zhen, Yu Le e Ben Blanchard em Pequim)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG