China pede que Obama anule decisão de receber Dalai Lama

Mesmo com pedido chinês, presidente americano recebe líder espiritual tibetano neste sábado

AFP |

A China pediu neste sábado ao presidente americano, Barack Obama, que anule sua decisão de receber o Dalai Lama e que não "interfira nos assuntos internos chineses".

Pequim pediu a Washington que "anule imediatamente sua decisão de realizar um encontro entre o presidente Obama e o Dalai Lama", e recorda que os Estados Unidos reconhecem a soberania chinesa sobre o Tibet, destacou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores Hong Lei.

"Rejeitamos com firmeza que qualquer político estrangeiro se reúna com o Dalai Lama, em qualquer forma que seja", destaca o comunicado, que adverte à administração americana para toda ação passível de "prejudicar as relações sino-americanas".

A Casa Branca informou na sexta (15) que Obama receberá o Dalai Lama neste sábado, em um "encontro que mostra o forte apoio do presidente à preservação religiosa, cultural e linguística única no Tibet e à proteção dos direitos humanos dos tibetanos".

"O presidente reafirmará seu apoio ao diálogo entre os representantes do Dalai Lama e do governo chinês visando resolver suas divergências".

Obama foi criticado no Congresso por não ter recebido o Dalai Lama - que visita Washington desde o início de julho - e por ceder à pressão da China, que considera o líder tibetano como um perigoso separatista. O presidente americano se reuniu com o Dalai Lama no ano passado, o que provocou a ira de Pequim, que acusa o líder religioso de buscar a independência do Tibet.

    Leia tudo sobre: ChinaEUATibetdiplomacia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG