China pede que EUA reduzam operações de vigilância em águas chinesas

Pequim, 27 ago (EFE).- O ministro da Defesa chinês solicitou ao diretor do Escritório de Estratégia e Política americano, em reunião bilateral realizada em Pequim, que sejam reduzidas e gradualmente terminem as operações de vigilância realizadas pelas forças áreas e navais dos Estados Unidos em águas chinesas, informou a agência Xinhua.

EFE |

O representante chinês, Guan Youfei, explicou "que as constantes manobras aéreas e marítimas americanas em áreas chinesas podem causar um confronto entre os dois, caso que não diminuam e, finalmente, sejam interrompidos".

Os dois países refletiram sobre questões de segurança marítima em um tom "franco" e "sólido", e discutiram os diferentes métodos existentes para solucionar os problemas.

Esta reunião é a segunda mantida entre os dois países, após os incidentes do início do ano nas águas do Mar Amarelo e do Mar do Sul, quando, segundo a China, uma embarcação naval americana infringiu as leis internacionais sobre o uso de águas territoriais.

Em 1998, China e EUA assinaram um acordo sobre o tema e, desde então, realizaram sete encontros e 13 sessões de trabalho para discutir assuntos militares de caráter marítimo. EFE scf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG