China pede diálogo na península coreana

Pequim, 5 fev (EFE).- A China, principal valedor do regime norte-coreano, rompeu hoje seu silêncio e pediu diálogo entre as duas Coreias, depois que Pyongyang anunciou que está preparando um novo lançamento balístico e anulou acordos de não agressão com Seul.

EFE |

"Esperamos que todas as partes possam reconhecer que manter a estabilidade é do interesse dos povos da península coreana", disse hoje a porta-voz de turno do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Jiang Yu, em entrevista coletiva.

"Como vizinho próximo, apoiamos a melhoria das relações entre Coreia do Norte e do Sul através do diálogo, e promovemos a reconciliação e a cooperação, que levem à paz regional e à estabilidade", acrescentou a porta-voz chinesa.

A Coreia do Norte anulou na semana passada todos seus acordos de não confronto com Coreia do Sul.

Além disso, Pyongyang anunciou na terça-feira que está preparando o lançamento de um míssil de longo alcance - segundo a inteligência sul-coreana, um Taepodong-2, com capacidade para transportar ogivas nucleares.

A China é um dos principais fornecedores do regime norte-coreano de Kim Jong-il, cujo povo sofre crises de fome cíclicas, e também seu principal valedor político.

Assim como os outros quatro países participantes do desarmamento norte-coreano, a China está enviando sua parte de ajuda energética exigida por Pyongyang como contrapartida, mas também outros tipos de verbas. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG