China ordena retirada de todos os produtos lácteos com mais de um mês

A China ordenou a retirada dos mercados de forma urgente de todos os produtos lácteos que tenham mais de um mês, data em que explodiu o escândalo do leite em pó adulterado com melamina, informa a imprensa oficial.

Redação com agências internacionais |

Todos os produtos lácteos fabricados antes de 14 de setembro devem ser analisados para buscar a eventual presença de melamina, produto químico adicionado ao leite e que foi responsável pela morte de quatro bebês e a infecção de mais de 50 mil crianças, informou a agência Nova China.

Os produtos podem ser vendidos novamente se passarem em testes de qualidade e forem classificados como seguros, segundo informou a agência estatal Xinhua.

Esta é a primeira vez que o governo chinês faz um grande recall do produto desde que o escândalo do leite contaminado veio à tona, no mês passado. A medida, aprovada por cinco ministérios do país.

O recall também inclui os produtos de marcas que já foram aprovadas em testes de qualidade do governo.

Escândalo

Quatro crianças morreram e milhares tiveram problemas renais depois de consumirem leite contaminado com melamina, uma substância utilizada na fabricação de plástico.

Alguns produtores de leite foram presos e acusados de adicionar o produto químico para enganar os testes de qualidade e fazer o leite parecer mais rico em proteínas.

O governo chinês negou que funcionários responsáveis pela fiscalização do produto tenham sido negligentes e prometeu aumentar as exigências de qualidade.

Leia mais sobre leite adulterado

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG