China nega que seja a origem da epidemia de gripe suína

Pequim, 29 abr (EFE).- O governo da China negou hoje que a origem da atual epidemia de gripe suína esteja no país, como assegurou o governador do estado mexicano de Veracruz, Fidel Herrera, e culpou a imprensa por ter divulgado essa suspeita.

EFE |

"Guiados por motivos ocultos, alguns veículos de imprensa estrangeiros ignoram os fatos sobre a epidemia e inventaram de forma deliberada rumores de que esta epidemia procede da China", assinalou o porta-voz do Ministério da Saúde chinês, Mao Qunan, na site da pasta.

Essas informações "estão destinadas a arruinar a imagem da China", acrescentou o porta-voz, que qualificou essa acusação de "infundada".

Herrera argumentou que o vírus "fica na Ásia, na China. De lá é que ele vem, por passageiros à América do Norte e seguramente ao Distrito Federal e ao Estado do México".

O Ministério chinês afirmou que o país "nunca exportou porcos vivos ao México e aos Estados Unidos, o que significa que não pode ser a origem" da gripe suína.

Mao acrescentou que veículos de imprensa destacaram a morte de alguns porcos nas cidades chinesas de Fuqing e Changle como possível origem da epidemia, que pode ter matado mais de 150 pessoas no México.

Estes porcos, cuja criação era ilegal, morreram de disenteria e de um tipo de edema frequente entre o gado suíno, e nenhum rastro de epidemia foi encontrado na região, explicou o Ministério de Saúde da China, onde não foi registrado nenhum caso humano ou animal de gripe suína.

O Governo chinês, que proibiu a importação de carne de porco do México, anunciou hoje o envio de US$ 5 milhões para que o país latino-americano possa enfrentar a epidemia de gripe suína. EFE mz/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG