China não muda postura com relação a águas limítrofes com o Japão

Pequim, 17 jun (EFE).- A China reiterou hoje que não mudará sua postura com relação às águas limítrofes disputadas com o Japão, embora tenha apostado em um estado de cooperação, paz e amizade nas mesmas, o que poderia ser visto em pouco tempo com a assinatura de um acordo para sua exploração.

EFE |

"Nossa posição com relação ao Mar da China Oriental continua sendo consistente, não mudou", declarou em entrevista coletiva a porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da China, Jiang Yu.

Jiang disse que "a soberania sobre a jazida de gás e petróleo de Chunxiao não tem conexão com o desenvolvimento comum", para o qual apostou na assinatura de um acordo derivado do "consenso entre os líderes dos dois países".

Aproveitando o momento de distensão que vivem as relações bilaterais dos dois países, China e Japão, adversários tradicionais, tem Governos que poderiam fechar em breve um acordo para a exploração das reservas de gás de Chunxiao, Duanqiao e Longjing.

Segundo informações dadas hoje pela agência oficial "Xinhua", as negociações alcançaram "ótimos avanços" nas últimas horas e, faltando alguns pontos, Pequim aceitará que Tóquio invista nesta área e peça os lucros proporcionais a seu investimento.

No entanto, apesar da aproximação na área de exploração, não parece que a China vá ceder o mínimo em sua reivindicação destas águas limítrofes nas quais se encontram as águas territoriais da China e do Japão.

A Lei do Mar estabelecida pela Convenção da ONU permite que os dois países explorem os recursos marítimos nos 370 quilômetros que se estendem desde seus respectivos litorais, limites que acabam se encontrando e que a China e o Japão disputam apesar de terem assinado este tratado em 1996.

"A China não reconhece a denominada posição de linha média", afirmou hoje Jiang, para depois afirmar que "nossa postura é a mesma". EFE pa/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG