China liderará inovação no mundo até 2020, diz pesquisa

O País já se tornou a segunda maior economia do mundo depois de se estabelecer como o centro industrial mundial

Reuters |

A China vai se tornar o centro de inovação mais importante do mundo até 2020, superando os Estados Unidos e o Japão, segundo uma pesquisa de opinião pública apresentada na segunda-feira.

A China já se tornou a segunda maior economia do mundo depois de se estabelecer como o centro industrial mundial. Agora, o país quer subir na escada do valor agregado tornando-se também um centro de inovação.

Hoje, os EUA são o país mais inovador do mundo, com 30 por cento das pessoas pesquisadas adotando essa opinião, seguido pelo Japão, com 25 por cento das opiniões e da China, com 14 por cento.

Daqui a dez anos, contudo, 27 por cento das pessoas acreditam que a China vai liderar na inovação, seguida da Índia com 17 por cento, dos EUA, com 14 por cento e do Japão com 12 por cento, segundo a pesquisa realizada pela farmacêutica AstraZeneca, que ouviu 6 mil pessoas em seis países.

A mudança não é porque os EUA estejam investindo menos em pesquisa, mas porque países como a China e a Índia estão aumentando seus esforços de avanço tecnológico --fato reforçado pelo repentino aumento nas descobertas realizadas na Ásia.

Um estudo realizado no mês passado pela Thomson Reuters mostrou que a China era agora o segundo maior produtor de relatórios científicos, depois dos EUA, e que o investimento em pesquisa e desenvolvimento por países asiáticos como um grupo em 2008 foi de 387 bilhões de dólares, comparado com 384 bilhões de dólares pelos EUA e 280 bilhões de dólares pela Europa.

Descobrir o ritmo de desenvolvimento tecnológico dos países emergentes é importante para empresas focadas na área tecnológica. A indústria farmacêutica, em particular, tem estado ansiosa para entrar na China e muitas empresas, inclusive a AstraZeneca, já abriram centros de pesquisa no país enquanto tentam aumentar a produtividade de seus laboratórios de pesquisa e desenvolvimento em casa.

    Leia tudo sobre: chinalíderpesquisa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG