China liberta 1.157 detidos por distúrbios no Tibete

A China libertou 1.157 pessoas supostamente envolvidas nos distúrbios registrados em março na capital tibetana Lhasa, anunciou nesta sexta-feira a agência oficial Nova China, citando um alto dirigente do Tibete.

AFP |

Estas pessoas foram detidas por delitos menores cometidos durante os distúrbios, informou o vice-presidente da região do Tibete, Palma Trily, em coletiva de imprensa em Lhasa.

Antes, a agência informou que os tribunais tibetanos condenaram 12 pessoas envolvidas nos distúrbios de Lhasa em março passado, o que acontece às vésperas da passagem da tocha olímpica pela capital do Tibete.

Segundo a Nova China, que citou o vice-presidente desta região autônoma, Palma Trily, os julgamentos tiveram lugar na quinta e sexta-feira.

A tocha olímpica passará neste sábado pela capital do Tibete.

Na quarta-feira, a organização Anistia Internacional (AI) pediu ao governo chinês que fornecesse informações sobre mais de mil pessoas detidas durante os violentos distúrbios de meados de março no Tibete.

Os tibetanos no exílio afirmam que a repressão das manifestações causou 203 mortos, mas o governo chinês fala de apenas 21 mortos.

bur-pst/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG