China libera orquestra internacional e alerta manifestantes

Por Chris Buckley PEQUIM (Reuters) - A China permitiu a apresentação de uma orquestra internacional na Praça da Paz Celestial neste domingo, mas emitiu alerta para manifestações pré-autorizadas como parte de um delicado esforço para mostrar a abertura do país e, ao mesmo tempo, evitar problemas durante a Olimpíada.

Reuters |

Os líderes comunistas locais desejam que os Jogos Olímpicos sejam uma vitrine da modernidade e do progresso econômico da China para o mundo. No entanto, críticos do regime chinês aproveitaram o foco dado ao país para pressionar Pequim sobre o tratamento dado a dissidentes, especialmente no Tibete.

O Nepal deteve 253 manifestantes, incluindo monges tibetanos, que tentavam avançar em marcha silenciosa perto de um escritório chinês de emissão de passaportes em Katmandu.

Segundo a polícia, os manifestantes seriam libertados ainda no domingo.

Faltando cinco dias para a cerimônia de abertura dos jogos, Pequim decidiu autorizar manifestações em três parques, mas os participantes, locais ou estrangeiros, precisam fazer uma requisição cinco dias antes.

'Os cidadãos não devem prejudicar os interesses nacionais, sociais e coletivos', disse Liu Shaowu, chefe de segurança do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim, em um comunicado.

As Olimpíadas atraíram críticas mundiais à China que abordam desde o tratamento dado aos dissidentes e a censura da Internet até as políticas em relação ao conflito de Darfur.

A China possui uma força de segurança de 100 mil homens disponíveis para evitar terrorismo ou abafar protestos contra o governo durante o maior evento internacional já ocorrido em Pequim.

Uma orquestra jovem de 2.008 músicos internacionais tornou-se o primeiro grupo estrangeiro a se apresentar na Praça da Paz Celestial, com um repertório que mistura músicas clássicas e modernas no mesmo local onde ocorreram os protestos estudantis na capital chinesa em 1989.

'Esta é uma mensagem significativa dos chineses e mostra que a China agora está aberta para o mundo', disse um dos participantes, Max Ronquillo, líder da Guam Territorial Band.

Assim como uma exposição maior aos olhos do mundo, os Jogos Olímpicos também garantiram ao país mais populoso do mundo uma oportunidade sem precedentes para ostentar seu progresso.

Terceiro colocado no quadro de medalhas de ouro na Olimpíada de Sydney, em 2000, e segundo nos Jogos de Atenas, em 2004, a China espera que seus atletas alcancem o topo do ranking, superando finalmente a equipe dos Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG