China lembra um ano do terremoto de Sichuan

O presidente chinês Hu Jintao e outras autoridades do país observaram um minuto de silêncio às 14H28 (3H28 de Brasília) desta terça-feira em Sichuan para lembrar um ano do terremoto que deixou 87.000 mortos e desaparecidos.

AFP |

Jintao, acompanhado pelo vice-premier Li Keqiang, estava em Yingxiu, o epicentro do tremor.

Após o minuto de silêncio, a cerimônia oficial prosseguiu com um discurso do presidente.

O tremor de nível 8 na escala de magnitude de momento - o mais violento na China em 30 anos - devastou uma zona montanhosa ao noroeste da capital provincial, Chengdu, provocando uma catástrofe.

O primeiro aniversário do terremoto gerou um novo confronto entre as autoridades chinesas e os jornalistas estrangeiros.

Os jornalistas denunciaram que as autoridades, que organizaram uma viagem de imprensa oficial estritamente controlada, impediram um deslocamento livre em Sichuan e a possibilidade de contato com a população afetada.

Hou Xiongfei, alto funcionário do governo de Sichuan, chamou os correspondentes ocidentais de 'agitadores'.

"Eles não vêm à zona da catástrofe para investigar, eles instigam a população e pedem que se organizem contra o governo", afirmou.

frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG