China lança canal de televisão em árabe

A China está lançando um canal de televisão em língua árabe para mostrar ao Oriente Médico e ao norte da África a China de verdade. A emissora China Central Television (CCTV) irá transmitir notícias, entretenimento e programas culturais 24 horas por dia.

BBC Brasil |

O canal faz parte do plano do governo chinês de promover os pontos de vista do próprio governo ao incentivar emissoras controladas pelo estado a buscarem uma audiência global.

A nova emissora será acessível a cerca de 300 milhões de pessoas em 22 países de língua árabe a partir deste sábado.

"É essencial sermos uma emissora multilíngue, multifacetada e com múltiplas perspectivas", disse Zhang Changming, vice-presidente da CCTV.

"Esperamos que o mundo possa conhecer a China e a China possa conhecer o resto do mundo ainda melhor", disse Changming no evento de lançamento da emissora.

Pequim, além de criticar a representação da China transmitida por emissoras internacionais, também restringe a mídia do país.

'China real'
A CCTV já possui quatro canais de televisão internacionais que transmitem em inglês, francês e espanhol, além de chinês.

A diretoria do canal se negou a responder quanto custou o canal árabe e quantos expectadores o grupo pretende atrair com o novo canal.

A CCTV em árabe contará inicialmente com 80 funcionários e os programas serão apresentados por chineses que falam a língua.

Changming afirmou que o objetivo da nova emissora é tentar equilibrar algumas das visões "distorcidas sobre a China, transmitidas por alguns canais internacionais".

"O princípio é ser verdadeiro, objetivo, preciso e transparente. A CCTV vai apresentar ao mundo a China real", disse.

O vice-presidente não citou, no entanto, que a mídia chinesa é rotineiramente censurada pelo governo e enfrenta restrições duras sobre as coberturas.

Expansão
A CCTV também pretende lançar um canal em russo em setembro e não é a única organização de comunicação chinesa que está expandindo sua cobertura.

Em abril, o jornal chinês Global Times lançou uma edição em inglês com o objetivo de promover a visão do povo chinês aos estrangeiros.

A China reclama há muito tempo dos relatos que considera "injustos" sobre o país, transmitidos por canais estrangeiros.

No ano passado, houve até uma campanha contra a mídia internacional "preconceituosa", depois dos conflitos no Tibete, que levaram diversos correspondentes internacionais na China a sofrerem ameaças de morte.

A China não é o único país que transmite no Oriente Médio. No ano passado, a BBC lançou seu canal de televisão público em árabe, a BBC Arabic TV.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG