China lamenta de prêmio a Hu Jia, mas descarta que afetará cúpula da Asem

Pequim, 23 out (EFE).- O Governo chinês lamentou hoje a concessão do Prêmio Sakharov 2008 ao dissidente chinês Hu Jia pelo Parlamento Europeu, mas disse que este fato não alterará o desenvolvimento da cúpula da Asem entre Ásia e Europa, que começa amanhã na capital chinesa.

EFE |

Em entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério de Exteriores chinês, Liu Jianchao, mostrou a insatisfação do Executivo pela concessão do prêmio a "esse criminoso preso".

Também considerou que é "uma grande interferência nos assuntos internos da China, e também viola as práticas internacionais entre os países de se tratar com igualdade".

"Há tantos grandes assuntos no mundo para tratar que não acho que isso afetará a cúpula", disse Liu, em referência à crise financeira mundial, principal ponto na agenda da Asem.

"Essa concessão do prêmio não representa a opinião da maioria da população européia", disse o porta-voz chinês. EFE pc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG