China ironiza desaparecimento de advogado dissidente

Pequim, 26 jan (EFE).- O Governo chinês respondeu hoje com ironia ao desaparecimento de Gao Zhisheng, advogado chinês e candidato ao Prêmio Nobel da Paz de 2008, que foi detido há quase um ano pelas autoridades e agora está em paradeiro desconhecido.

EFE |

"Sinceramente não sei onde ele se encontra (Gao Zhisheng). A China tem mais de 1,3 bilhão de habitantes e não posso saber o paradeiro de todos eles", disse hoje em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês Ma Zhaoxu.

Gao Zhisheng foi detido por cerca de sete policiais em 4 de fevereiro de 2009, depois que o advogado defendeu vários praticantes de Falun Gong, um grupo budista ilegalizado por Pequim em 1999 e cujos seguidores dizem ser perseguidos e torturados pelo regime chinês.

Recentemente, o irmão do advogado, chamado Zhiyi, perguntou à Polícia de Pequim, que lhe respondeu que o dissidente chinês havia "desaparecido em 25 de setembro durante um passeio".

Ativistas contatados pela Agência Efe consideram que a afirmação da Polícia de que Gao, de 44 anos, está "desaparecido" faz parte do assédio psicológico habitual sobre os familiares dos presos políticos. Eles acreditam que há uma grande possibilidade que ele esteja ainda sob custódia policial.

Nos últimos anos, o regime chinês prendeu vários defensores dos direitos humanos, como o ativista Hu Jia e o intelectual Liu Xiaobo, além de ter caçado no ano passado a licença de um grupo de advogados dedicados à defesa dos direitos humanos. EFE gmp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG