China insiste que países desenvolvidos reduzam primeiro emissões de CO2

Pequim, 5 ago (EFE).- A China se manterá firme em sua posição de que os países desenvolvidos devem ser os primeiros a reduzir as emissões de gás carbônico (CO2), anunciou Yu Taiqing, representante especial do Governo para a mudança climática, em declarações à agência oficial Xinhua.

EFE |

Segundo o governo chinês, esta proposta é justa, já que os países desenvolvidos têm uma clara responsabilidade histórica no aquecimento do planeta.

Além disso, Yu destacou que seu país espera que, até 2020, haja uma diminuição de 40% nas emissões de CO2 nos países desenvolvidos em relação aos números de 1990.

Por outro lado, ressltou que a China vem fazendo o seu papel diante do desafio de reduzir as emissões de dióxido de carbono e continuará se esforçando neste sentido.

Segundo Yu, o país conseguiu reduzir em 10% o consumo de energia por unidade de PIB em relação a 2005 e tem como meta para este ano alcançar uma redução de mais 5%.

A China, por sua condição de país em desenvolvimento, não está obrigada pelo Protocolo de Kioto a reduzir suas emissões, embora a comunidade internacional tenha feito um apelo ao país asiático e a outras nações emergentes para que assumam maior responsabilidade em futuros compromissos.

A cúpula de dezembro em Copenhague tentará encontrar um sucessor ao Protocolo de Kioto, que vence em 2012, e os países desenvolvidos temem que não haja acordo se a China não assumir um compromisso firme de limitar suas emissões de gases. EFE mmp/fk/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG