China fixa normas para conteúdo de melamina em alimentos

A China fixou oficialmente nesta quarta-feira as taxas máximas do teor de melamina nos alimentos, depois do escândalo do leite contaminado, adotando normas similares às da União Européia (UE).

AFP |

Esta substância química utilizada na indústria continua proibida como aditivo, mas por sua presença no meio ambiente ou em certas embalagens, sempre é possível encontrar vestígios nos alimentos, explicou Wang Xuening, diretor adjunto do Departamento de Higiene do ministério da Saúde.

Os produtos lácteos para crianças não poderão conter mais de um miligrama por quilo de melamina. A taxa máxima para os outros laticínios ou qualquer produto que contenha mais de 15% de leite foi fixada em 2,5 miligramas por quilo.

Quatro bebês morreram e mais de 50.000 sofreram problemas renais por terem ingerido leite adulterado com melamina, segundo um balanço que não é atualizado desde 22 de setembro.

ph-jg/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG