China está em alerta por vazamentos radiativos após terremoto

Por Benjamin Kang Lim PEQUIM (Reuters) - A China está em alerta preventivo contra possíveis vazamentos radioativos causados pelo pior terremoto no país em três décadas, de acordo com o site do governo, acessado na sexta-feira.

Reuters |

Mianyang, uma das áreas mais atingidas pelo desastre, abriga o laboratório de pesquisas sobre armas nucleares, vários instalações nucleares secretas, mas nenhuma estação de energia nuclear.

Zhou Shengxian, ministro da Proteção Ambiental, convocou uma reunião de emergência na segunda-feira, horas depois de um terremoto de magnitude 7,9 atingir a Província de Sichuan.

Depois disso, eles colocaram a região no nível mais crítico de um ranking de quatro estágios de radiação, disse o ministério em seu site (www.zhb.gov.cn).

O presidente Hu Jintao voou para Mianyang na sexta-feira, quatro dias depois do terremoto que pode ter matado mais de 50 mil pessoas, informaram a televisão e a agência de notícias estatal Xinhua -- uma indicação de que o risco era baixo.

A Xinhua não disse se Hu perguntou sobre as instalações nucleares dali.

Mas cientistas do setor nuclear foram retirados da área, como medida de precaução, disse uma fonte ligada à operação de desocupação.

'Todo mundo foi retirado (de lá). Não sobrou ninguém', disse a fonte, que pediu à Reuters para não revelar seu nome.

'Mianyang foi a primeira parada de Hu Jintao (em Sichuan), prova da importância que ele dá à base de armas nucleares', disse.

A Academia Chinesa de Engenharia Física, também conhecida como Instituto Sudoeste, em Mianyang, é o principal laboratório de desenvolvimento das armas nucleares chinesas, de acordo com o site www.globalsecurity.org.

Um especialista ocidental que conhece o laboratório de Mianyang disse que é improvável que corra grandes riscos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG