China e Rússia condenam escudo antimísseis dos EUA

Pequim, 23 mai (EFE).- Os presidentes da China, Hu Jintao, e Rússia, Dmitri Medvedev, assinaram hoje em Pequim um comunicado conjunto no qual criticam duramente o escudo antimísseis dos Estados Unidos.

EFE |

"As duas partes afirmam que o estabelecimento de um sistema defensivo global de mísseis, com seu desdobramento em certas partes do mundo e planos para esta cooperação, não ajudará a apoiar o equilíbrio e a estabilidade estratégias. Além disso, prejudica os esforços internacionais de controle de armas e não-proliferação nuclear", diz o documento.

Washington pretende instalar dez plataformas de lançamento de mísseis interceptores na Polônia e um sistema de radar controlador na República Tcheca. O objetivo será evitar possíveis ataques de países como o Irã, gerando críticas da Rússia, aliada próxima a Teerã, com quem compartilha interesses econômicos e estratégicos.

Apesar de China e Rússia já terem condenado em ocasiões anteriores o escudo antimísseis americano, os dois países ainda não tinham feito uma condenação conjunta.

A cooperação energética e militar também está incluída na agenda da visita de Medvedev, durante a qual China e Rússia concluirão um acordo avaliado em US$ 1 bilhão para o fornecimento de urânio semi-enriquecido russo à China e a construção neste país de uma planta de enriquecimento do mineral.

O reforço da cooperação militar, depois que os dois exércitos começaram a fazer exercícios juntos em 2005, será outro dos assuntos presentes nas conversas.

Em matéria militar, Medvedev manifestou sua intenção de assinar um acordo de proteção da propriedade intelectual de armamento - uma de suas principais exportações para a China - depois que Moscou afirmou recentemente que alguns equipamentos militares chineses eram mera cópia dos seus. EFE cg/wr/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG