China e Japão defendem resolução da ONU rápida e dura

Tóquio, 2 jun (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, e seu colega japonês, Hirofumi Nakasone, concordaram hoje na necessidade de que o Conselho de Segurança da ONU adote uma resolução rápida e dura contra Pyongyang por causa de seu teste nuclear.

EFE |

Em uma conversa por telefone entre os dois representantes, o ministro chinês disse que não acredita que uma nova resolução do Conselho de Segurança da ONU e mais sanções possam resolver o problema norte-coreano por si só.

Segundo o Ministério de Exteriores japonês, a China transmitiu a Nakasone a necessidade de voltar ao diálogo multilateral para o desarmamento da Coreia do Norte.

Pyongyang anunciou, em 14 de abril, que "não participará nunca mais" do diálogo multilateral, um processo aberto em 2003 e paralisado desde dezembro e com a intervenção das duas Coreias, China, Rússia, Estados Unidos e Japão.

Yang e Nakasone disseram que querem fortalecer os laços entre suas respectivas delegações nas Nações Unidas, com a intenção de adotar rapidamente "uma resolução que contenha sanções adicionais" para Pyongyang.

No entanto, a China defendeu uma "reação apropriada" do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a adoção de uma resolução "equilibrada" em resposta à recente ação da Coreia do Norte.

O regime comunista norte-coreano realizou em 25 de maio seu segundo teste nuclear, depois do executado em 2006, e lançou durante essa mesma semana vários mísseis de curto alcance.

Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, Rússia, França, China e Reino Unido), junto com Japão, retomaram ontem as negociações para definir uma nova rodada de sanções contra a Coreia do Norte por causa do recente teste nuclear.

Rússia e China, principais aliados da Coreia do Norte, mostraram-se até agora dispostas a apoiar uma nova resolução do Conselho de Segurança da ONU contra o regime comunista, mas são reticentes a impor sanções drásticas. EFE clb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG