China e Dalai Lama concordam em conversar novamente

Por John Ruwitch SHENZHEN, China - Enviados do Dalai Lama e autoridades chinesas concordaram em se reunir novamente depois de um dia de conversas, afim de solucionar as tensões despertadas por um levante que colocou o Tibete no centro das atenções às vésperas das Olimpíadas de Pequim.

Reuters |

O encontro a portas fechadas, ocorrido no domingo, na cidade de Shenzhen, perto de Hong Kong, foi o primeiro desde que as revoltas anti-Pequim irromperam em Lhasa, numa onda de protestos no Tibete e em áreas vizinhas, em março.

'Eles (os enviados) completaram sua discussão', disse à Reuters Thbten Samphel, secretário do Departamento de Informações do governo em exílio tibetano em Dharamsala, Índia.

Clique na imagem e veja infográfico sobre o Tibete





'O professor Samdhong Rimpoche disse que o diálogo correu muito bem', afirmou Samphel, referindo-se ao primeiro-ministro do auto-proclamado governo em exílio.

As revoltas tibetanas, cuja responsabilidade a China atribui ao Dalai Lama, foram o maior desafio ao comando chinês em duas décadas.

O levante inspirou uma série de protestos contra a China durante o revezamento da tocha olímpica e a pedidos de boicote aos Jogos Olímpicos, o que, por sua vez, estimulou uma resposta de chineses patriotas.

'Autoridades do governo central chinês e representantes privados do 14o Dalai Lama concordaram em se reunir novamente em um momento apropriado', disse a agência de notícias estatal Xinhua.

(Reportagem adicional de Royston Chan e Abhishek Madhukar, em Dharamsala)


Leia mais sobre: Tibete

    Leia tudo sobre: tibete

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG