China é contra que Canadá receba presos chineses de Guantánamo

Pequim, 5 fev (EFE).- A China reiterou hoje sua oposição a que outro país receba os presos chineses na base americana de Guantánamo, em Cuba, após o fechamento da prisão, diante da possibilidade de que o Canadá assuma essa responsabilidade.

EFE |

"Sobre os detidos chineses suspeitos de terrorismo em Guantánamo, a China expressou sua postura em várias ocasiões: somos contra que qualquer país aceite estas pessoas", disse a porta-voz do Ministério de Exteriores chinês, Jiang Yu, em entrevista coletiva.

Jiang respondia assim a uma pergunta sobre a possível oferta do Canadá para receber os presos chineses.

A porta-voz acrescentou que seu Governo espera que "as partes pertinentes sigam as leis internacionais" neste conflito.

O Governo canadense informou ontem que está considerando aceitar os presos chineses de Guantánamo, pertencentes à minoria étnica muçulmana uigur, cujos ativistas são acusados pelo regime chinês de terroristas e separatistas.

Segundo a imprensa canadense, ativistas uigures estão negociando com altos cargos canadenses o envio de três presos dessa etnia ao país, depois que o novo presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou o fechamento da polêmica prisão de alta segurança localizada em Cuba.

Caso sejam devolvidos à China, estes suspeitos podem ser condenados à pena de morte, já que o regime chinês elimina sistematicamente os que considera membros de um movimento terrorista. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG