Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

China diz ter encontrado armas de fogo em templo tibetano

Por Ben Blanchard PEQUIM (Reuters) - Forças chinesas encontraram armas de fogo escondidas num templo de uma região habitada por tibetanos no sudoeste da China, onde houve protestos contra o regime comunista nas últimas semanas, segundo a TV estatal.

Reuters |

Paralelamente, a polícia prendeu cinco passageiros, possivelmente tibetanos, que fizeram 'comentários suspeitos' a bordo de um avião e que, por causa disso, voltou à cidade de Shenzhen (no sul da China) cerca de meia hora depois da decolagem, de acordo com um jornal.

A polícia disse que, graças a uma denúncia, encontrou em março 30 armas de fogo num monastério tibetano da localidade de Aba, na província de Sichuan, segundo a reportagem apresentada pela CCTV e transcrita no site do canal www.cctv.com.

'Naquela hora, essas armas de fogo estavam espalhadas, algumas estavam onde os monges mantêm as escrituras. Eram armas semi-automáticas modificadas', disse o policial Lan Bo.

O Tibete e regiões vizinhas (o que inclui Aba) tiveram nas últimas semanas violentos protestos contra o domínio chinês e pela volta do líder espiritual tibetano no exílio, o Dalai Lama.

As manifestações também afetaram o percurso mundial da tocha da Olimpíada de Pequim. No domingo, porém, a chama olímpica passou sem incidentes por Dar Es Salaam, principal cidade da Tanzânia.

O Diário do Povo, órgão oficial do regime, acusou a imprensa ocidental de distorcer e exagerar os protestos contra a chama. O jornal também criticou o Parlamento Europeu por sua tolerância com a 'camarilha do Dalai', que a China acusa de provocar os protestos de 14 de março, que deixaram 19 mortos, segundo os dados oficiais. Exilados tibetanos dizem que houve muito mais vítimas e o Dalai Lama nega envolvimento nos protestos.

'As pessoas não podem deixar de perguntar: o Parlamento Europeu sempre se gaba dos direitos humanos e da liberdade, então por que faz ouvidos surdos ao sério abuso dos direitos humanos na forma de ataques e assassinato de inocentes no Tibete?', disse o jornal.

Numa recente visita de jornalistas ocidentais à província de Gansu, as autoridades exibiram um filme com armas supostamente apreendidas de manifestantes, o que incluía alguns rifles de caça, muitas facas típicas da região e laços. Mas os manifestantes que apareciam nas imagens não estavam armados.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG