China diz que protestos de independentistas não afetarão relações com Taiwan

Pequim, 12 nov (EFE).- A China afirmou hoje que os protestos independentistas registrados durante a visita do negociador chinês Chen Yunlin a Taiwan na semana passada não afetarão as relações entre Pequim e Taipé, que serão intensificadas no futuro, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

EFE |

Segundo a porta-voz do Escritório para Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado, Fan Liqing, as visitas oficiais à ilha não serão suspensas e serão reforçados os laços comerciais entre Pequim e Taipé.

Fan descreveu os protestos como "comportamentos irracionais" que foram realizados por "um número pequeno de pessoas" e acrescentou que a visita de Chen foi "satisfatória e positiva".

"Os acordos assinados trarão benefícios tangíveis aos cidadãos das duas partes" do estreito, acrescentou.

No último dia 6, cerca de 80 policiais, jornalistas e manifestantes ficaram feridos em confrontos realizados durante protestos independentistas orquestrados pelo Partido Democrata Progressista (PDP) - a principal força opositora da ilha - e realizados em Taipé contra a visita a Taiwan do negociador chinês, Chen Yunlin.

A presidente do PDP, Tsai Ing-wen, defendeu as mobilizações populares patrocinadas por seu partido por temer que esta visita fomentasse a união política com a China e declarou que buscavam "proteger a soberania de Taiwan" e tornar audível Chen, a "voz do povo". EFE ub/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG