China diz que protesto em embaixadas mostra que conflito foi organizado

URUMQI - As manifestações contra os consulados chineses na Europa e Estados Unidos mostram que os conflitos étnicos na cidade de Urumqi na semana passada foram orquestrados, segundo a imprensa chinesa nesta segunda-feira.

Reuters |

Reuters
Chineses protestam em frente à embaixada

Chineses protestam em frente à embaixada

Manifestantes jogaram ovos, coquetéis molotov e pedras em várias embaixadas e consulados chineses, incluindo em Ancara, Oslo, Munique e na Holanda, informou a agência de notícia Xinhua, após relatos de conflitos em Urumqi, capital da província de Xinjiang, rica em energia.

"Partidários dos separatistas do Turcomenistão do Leste começaram ataques bem orquestrados e muitas vezes violentos nas embaixadas chinesas e consulados em vários países logo após a ocorrência dos conflitos", disse Xinhua. "Os ataques contra as missões diplomáticas da China e os conflitos de Urumqi pareciam ser bem organizados", acrescentou.

184 mortos

Reuters
Policiais fazem segurança em Urumqi

Policiais fazem segurança em Urumqi

Uigures atacaram chineses han em Urumqi no dia 5 de julho após a polícia ter tentado acabar com um protesto contra trabalhadores uigures em uma fábrica no sul da China. Os chineses han em Urumqi lançaram um contra-ataque no final da semana.

O número oficial de mortos é de 184, dos quais 137 eram chineses han, que são a maioria da população de 1,3 bilhão da China, e 46 eram uigures, muçulmanos nativos de Xinjiang e culturalmente ligados à Ásia Central.

Enquanto forças de segurança ainda protegem Urumqi nesta segunda-feira, mais e mais lojas estão reabrindo.

"Em geral, as coisas estão lentamente voltando ao normal. Eu penso que a situação está melhorando e está sob controle", disse um morador han. Mas alguns moradores uigures continuam cautelosos.

Leia também:

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinaprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG