China diz que ar de Pequim está mais limpo desde as Olimpíadas

As medidas tomadas durante os jogos olímpicos de 2008 possibilitaram que Pequim registre a melhor qualidade do ar nesta década, segundo autoridades locais. Segundo informações do governo local, a cidade registrou, entre janeiro e agosto deste ano, 171 dias de poluição baixa - 22 dias a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado.

BBC Brasil |

Especialistas concordam que a qualidade do ar na capital chinesa está melhor, um ano depois das Olimpíadas.

Apesar disso, eles afirmam que ainda há um longo caminho a seguir antes que a qualidade do ar de Pequim possa ser comparada com algumas das cidades mais limpas do mundo.

E a mudança veio com um custo. A China vai ter dificuldades em gastar quantias similares às usadas na preparação para os jogos para melhorar outras cidades poluídas.

"Todas as principais medidas tomadas pela cidade custaram caro e não serão repetidas com facilidade em outros lugares", disse Yang Ailun, gerente de campanhas de clima e energia do Greenpeace na China.

Medidas
A poluição do ar em Pequim foi uma grande preocupação dos atletas, público e autoridades ligadas aos jogos antes das Olimpíadas.

Na época, autoridades chinesas afirmaram que não queriam que o maior evento jamais sediado pela China comunista fosse ofuscado pela poluição.

Por isso, o governo iniciou uma série de programas para melhorar a qualidade do ar na cidade para as Olimpíadas. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep, na sigla em inglês), a China gastou um total de US$ 17 bilhões nesses programas.

As medidas incluíram a relocação de fábricas poluentes, a proibição de carros particulares nas estradas e a conversão de aquecedores a carvão para gás natural.

Todo esse gasto funcionou. De acordo com um relatório da Unep, a taxa de poluição caiu em 36% em Pequim durante os jogos olímpicos, comparado com anos anteriores.

Os chineses usam um padrão para medir a qualidade do ar que avalia a quantidade de três poluentes cujos níveis devem estar abaixo de uma taxa específica.

O especialista italiano em qualidade do ar Ivo Allegrini, que monitorou o ar de Pequim durante as Olimpíadas, disse que o ar da cidade vai ficar cada vez melhor.

"O governo tem um bom plano em funcionamento para reduzir as emissões nos próximos anos", disse Allegrini, que continuou a monitorar a poluição na cidade depois dos Jogos.

Apesar disso, ele afirma que o ar na capital chinesa é tão limpo quanto em outras cidades ao redor do mundo.

Prejudicial à saúde
Alguns críticos afirmam ainda que os dados atuais sobre a poluição em Pequim divulgados pelo governo da China subestimam o problema real.

Segundo o governo local de Pequim, a taxa de poluição na cidade nesta sexta-feira era "boa", apesar da neblina que cobriu o céu a maior parte do dia.

No entanto, de acordo com a avaliação da embaixada dos Estados Unidos na capital chinesa, que monitora a qualidade do ar usando um padrão mais rigoroso, a taxa era "prejudicial à saúde" no mesmo horário.

Também está claro que alguns dos benefícios registrados durante os Jogos não foram mantidos depois da partida dos atletas.

Isso porque algumas das medidas adotadas pelo governo eram esquemas de curto prazo e já foram revertidos desde o fim das Olimpíadas.

Um exemplo disso é a proibição do uso de carros particulares nas estradas durante as Olimpíadas - são mais de três milhões de automóveis na cidade. Os carros já estão de volta às ruas.

Outro aspecto da vida em Pequim, como a entrega de verduras, também ficou restrita durante o evento esportivo, uma solução pouco sustentável para os problemas de poluição da cidade.

De acordo com o especialista Yang Ailun, a cobrança de impostos sobre o combustível seria uma medida melhor para incentivar as pessoas a pararem de dirigir carros.

"Esse tipo de política é muito mais eficiente do que medidas administrativas simples", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG