China diz que acordo sobre mudança climática do G8 não a vincula

LAquila (Itália), 9 jul (EFE).- A China não se sente vinculada ao acordo sobre a mudança climática alcançado na quarta-feira pelo Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia), que contempla uma redução das emissões de CO2 em 50% e em pelo menos 80% para os países desenvolvidos.

EFE |

Assim disse hoje o diretor do gabinete de imprensa e informação do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Ma Daoxu, em um encontro com jornalistas durante a Cúpula do G8, realizada na cidade italiana de L'Aquila.

Para o Governo de Pequim, segundo Ma, é necessário que os países desenvolvidos levem em consideração "as diversas condições" dos países em vias de desenvolvimento e dos chamados emergentes que formam o Grupo dos Cinco (G5, formado por Brasil, México, China, Índia e África do Sul).

A China "está ativamente comprometida a enfrentar o grave problema das mudanças climáticas", em linha com o Protocolo de Kioto e com o mapa do caminho de Bali, disse o porta-voz chinês, que especificou que seu país ainda tem um "longo caminho" a percorrer na industrialização, urbanização e modernização.

Estas declarações ocorrem depois que uma fonte da diplomacia italiana informou à Agência Efe que os países do G8 (EUA, Reino Unido, Japão, Canadá, Alemanha, França, Itália e Rússia) e do G5 decidiram limitar a dois graus centígrados o aumento da temperatura média global.

A mudança climática foi, até o momento, o principal assunto de desacordo na Cúpula do G8, onde tanto a China quanto a Índia mostraram seu receio diante das propostas colocadas pela Presidência italiana do G8.

O principal tema de desacordo é o da redução da emissão de gases tóxicos, que o G8 decidiu ontem que diminuísse em 50% - pelo menos 80% no caso dos países desenvolvidos -, mas que a China e a Índia não parecem dispostas a aceitar. EFE mcs/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG