China diz para Obama não culpar iuane por déficit americano

Pequim, 4 fev (EFE).- A China disse aos Estados Unidos para não atribuir à cotação do iuane o déficit americano, em resposta ao anúncio do presidente Barack Obama de que Washington adotará uma atitude comercial mais dura em relação a Pequim, em uma nova escalada de tensão entre as duas potências.

EFE |

"As acusações falsas e as pressões não ajudarão a solucionar o problema", afirmou hoje o porta-voz da Chancelaria chinesa, Ma Zhaoxu.

Em entrevista coletiva, o funcionário declarou que "o câmbio do iuane nunca foi a principal causa do déficit dos EUA".

Ontem, Obama disse aos senadores do Partido Democrata que "pressionará continuamente" a China para que cumpra seus acordos comerciais.

A declaração do chefe de Estado americano foi feita quatro dias depois de as relações entre os dois países terem ficado estremecidas com os planos dos EUA de vender armas a Taiwan.

O anunciado encontro entre Obama e o dalai lama, o líder espiritual tibetano, e os problemas do Google com a censura chinesa foram outros fatores que elevaram a tensão entre os dois Governos.

Nesse contexto, Obama criticou a cotação de algumas moedas, como a do iuane chinês, que Pequim mantém artificialmente baixo para, segundo Washington, para fortalecer as exportações.

"A estabilidade do iuane é nossa principal tarefa", retrucou hoje o porta-voz da Chancelaria chinesa, que disse esperar que Obama aborde este e outros assuntos com "objetividade e justiça". EFE mz/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG