China detém 4 japoneses por invasão a zona militar

Os quatro cidadãos japoneses foram detidos na cidade de Shijiazhuang

EFE |

Pequim informou a Tóquio deteve quatro japoneses na última segunda-feira e está os interrogando por ter entrado ilegalmente em uma zona militar sem autorização e gravado imagens, segundo informações de fontes diplomáticas à agência de notícias japonesa "Kyodo".

Os quatro cidadãos japoneses foram detidos na cidade de Shijiazhuang, na província de Hebei, e foram identificados como trabalhadores da construtora japonesa Fujita, segundo o Ministério de Exteriores do Japão.

De acordo com a "Kyodo", os detidos estavam no lugar preparando para concorrer em um projeto para processar restos de armamento químico abandonado pelo Exército japonês no final da Segunda Guerra Mundial, e acredita-se que gravavam as imagens com este propósito.

A Fujita disse que não conseguiu manter contato com seus quatro empregados, embora um deles tenha enviado um e-mail pedindo ajuda. O porta-voz do Governo japonês, Yoshito Sengoku, disse nesta sexta-feira que Tóquio está tentando reunir mais informação sobre a detenção de seus cidadãos.

Dois dos empregados tinham viajado temporariamente à China, enquanto os outros trabalhavam na filial chinesa da companhia. O fato acontece em momento especialmente tenso entre Tóquio e Pequim por conta da detenção, no início do mês, do capitão de um barco pesqueiro chinês após colidir com duas embarcações patrulheiras da Guarda Litorânea japonesa em águas próximas às ilhas Senkaku (Diaoyu, em chinês), disputas por Japão, China e Taiwan.

O Japão considera que o capitão colidiu de forma deliberada com as embarcações patrulheiras, enquanto a Justiça japonesa decidirá apresentar acusações contra o capitão antes do período de detenção que expira na próxima quarta-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG