China desfila disciplina e pirotecnia ao abrir Olimpíada

A China abriu oficialmente nesta sexta-feira a 29ª edição dos Jogos Olímpicos, em Pequim, com uma cerimônia grandiosa, marcada por efeitos especiais bem planejados e executados com impressionante disciplina. O show de luzes e cores de fogos de artifício esteve presente por toda a festa e foi aplaudido de maneira incessante pelos mais de 90 mil espectadores que foram ao Estádio Nacional (Ninho de Pássaro) para assistir à cerimônia.

BBC Brasil |

Logo no início da festa, um dos primeiros segredos guardados a sete chaves pelos organizadores do espetáculo foi revelado. Projeções de imagens na estrutura superior do "ninho" criaram efeitos visuais que tiveram papel fundamental na cerimônia.

O painel aéreo foi também fundamental no ápice da noite, quando o ex-ginasta chinês Li Ning, um dos maiores ídolos do esporte no país, foi erguido por cabos de aço e "flutuou" pela borda superior do estádio com a tocha para acender a pira olímpica.

Todos os presentes receberam uma sacola com bandeiras da China e dos anéis olímpicos, lanternas e uma bandana com desenhos típicos. Incentivada por mais de 2 mil voluntários, a platéia acenava com os objetos e ajudava a completar o espetáculo.

Com apresentações de música e dança e referências a etnias, tradições e à história da China, os organizadores da cerimônia procuraram transmitir uma mensagem de união e amizade entre os povos traduzida pelo lema da Olimpíada de Pequim: "Um mundo, um sonho".

Desfile
Durante o tradicional desfile de atletas da cerimônia, Pequim teve uma prévia dos grandes nomes que participam da Olimpíada na passagem de astros como os tenistas Roger Federer (Suíça) e Rafael Nadal (Espanha) e os jogadores de basquete Kobe Bryant (Estados Unidos) e Yao Ming (China).

Liderada pelo velejador e porta-bandeira Robert Scheidt, a delegação brasileira desfilou com muitos sorrisos e sacou celulares e câmeras fotográficas para registrar o momento.

Os atletas brasileiros foram recepcionados pelos acenos na tribuna do presidente Lula, um dos mais de 80 líderes mundiais presentes na festa.

A passagem das delegações do Iraque, dos Estados Unidos e da China também despertou reações intensas da geralmente tímida platéia.

O mesmo ocorreu quando imagens de líderes como o presidente americano George W. Bush, o francês Nicolas Sarkozy e o primeiro-ministro russo Vladimir Putin apareceram no telão do estádio.

Calor
Depois do juramento dos atletas, o chefe do comitê organizador de Pequim, Liu Qi, fez um discurso de boas-vindas às delegações estrangeiras e o presidente chinês Hu Jintao fez a protocolar e tradicional declaração de abertura dos Jogos.

"Sete anos atrás, 1,3 bilhão de chineses assumiram o compromisso de transformar um lindo sonho em realidade", disse Liu.

"O governo e o povo chinês não mediram esforços e paixão em preparar os Jogos ao adotar com firmeza os conceitos de uma Olimpíada verde, de alta tecnologia e do povo."
A cerimônia de abertura da Olimpíada foi realizada sob um calor de mais de 30º C e contou com um esquema de segurança de extremo rigor, com proporções à altura da grandiosidade de um evento, que teve uma audiência global pela televisão estimada em 4 bilhões de telespectadores.

A partir de agora, a Olimpíada prossegue com os holofotes nas competições em que mais de 10 mil atletas de 204 países disputarão medalhas em 28 modalidades.

A maratona esportiva só termina no dia 24, quando todos se despedirão dos Jogos Olímpicos até Londres-2012.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG