China: corrida contra o relógio para encontrar sobreviventes em colégio

Os serviços de emergência da China realizam uma verdadeira corrida contra o tempo nesta segunda-feira para tentar encontrar sobreviventes sob os restos de uma escola de Sichuan (sudoeste) - que desabou durante o terremoto de 7,8 na escala Richter que atingiu o país; 50 jovens morreram e centenas continuam sob os escombros, indicou a imprensa chinesa.

AFP |

Testemunhas citadas pela imprensa afirmaram que os jovens ficaram presos quando tentavam deixar o colégio na cidade de Dujiangyan, na província de Sichuan. O último balanço do terremoto apontava 8.533 mortes.

Dujiangyan fica a cerca de cem quilômetros do distrito de Wenchuan, epicentro do tremor.

Imagens das agências chinesas mostram a escola em ruínas, com os serviços de emergência sendo auxiliados por gruas, tentando retirar os blocos maciços de cimento. Vizinhos do local também ajudam, trabalhando nos escombros e já auxiliaram dezenas de estudantes.

"Alguns pularam das janelas, outros desceram pelas escadas que não desmoronaram", conta um dos aldeões que auxilia os serviços médicos, Gao Shangyuan.

De acordo com jornalistas da agência oficial Nova China, a construção de três andares desabou parcialmente. Alguns pais dos alunos também estão no local das escavações.

Duas alunas contaram ter conseguido sair porque "correram mais rápido que os outros".

O tremor ocorreu pouco antes das 14h30 locais (03h30 de Brasília) quando os alunos estavam na escola.

dma-jg/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG