Pequim, 20 fev (EFE).- O vice-ministro de Assuntos Exteriores da China, Li Hui, convocou hoje o embaixador da Rússia em Pequim para pedir uma completa investigação do afundamento de uma embarcação com dez marinheiros chineses a bordo, após ser atingido por um navio da Marinha russa, informou hoje a Chancelaria.

Depois que o porta-voz da diplomacia russa confirmou, em Moscou, que o navio realmente recebeu disparos por parte da guarda fronteiriça russa, a China insistiu em que as investigações aconteçam "o mais rápido possível" e a Rússia realize as operações de busca dos tripulantes desaparecidos.

Em 15 de fevereiro, um navio da Marinha russa disparou contra uma embarcação de bandeira leonesa, com uma tripulação de dez marinheiros chineses e seis indonésios, em águas próximas ao porto de Nakhodka, no extremo leste da Rússia.

Informações dos meios de comunicação falam de oito mortos no incidente, enquanto a imprensa oficial chinesa, por enquanto, cita sete marinheiros chineses desaparecidos e três que puderam ser resgatados.

Segundo algumas informações, havia sobre o navio acusações de contrabando. EFE abc/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.