China condena dois à morte por leite contaminado

Por Lucy Hornby SHIJIAZHUANG, China (Reuters) - A Justiça chinesa condenou à morte na quinta-feira dois acusados de envolvimento em um caso de contaminação de laticínios que matou pelo menos seis crianças em 2008. A mulher apontada como principal responsável pegou prisão perpétua.

Reuters |

Quase 300 mil crianças adoeceram no ano passado após consumirem leite propositalmente contaminado com a substância tóxica melamina, que é capaz de apontar erroneamente a existência de proteínas em testes nutricionais.

O julgamento de intermediários e executivos do hoje falido Sanlu Group, que deixaram de notificar o adoecimento das crianças após consumirem leite com melamina, terminou na véspera do principal feriado chinês, o Ano Novo Lunar.

Tradicionalmente, esta é uma época de reuniões familiares, e o governo esperava que as sentenças acalmassem a indignação popular com o caso durante esse período.

Pais de vítimas concentravam sua ira sobre a ex-gerente-geral da Sanlu, Tian Wenhua, e não esconderam sua frustração pelo fato de que ela não será executada.

"Deveriam dar um tiro nela", disse Zheng Shuzhen, 48 anos, que perdeu uma neta em junho, vítima da contaminação em leite em pó da Sanlu. A menina não foi incluída na lista oficial de vítimas.

"Muitas crianças morreram, mas (as autoridades) mantiveram o número oficial baixo para que ela pudesse pegar a perpétua, não a pena de morte", afirmou Zheng.

Tian declarou-se culpada da acusação de produzir e vender produtos adulterados, o que segundo a imprensa estatal não é passível de execução. Além da prisão perpétua, ela foi multada em 24,5 milhões de iuans (3,6 milhões de dólares).

A melamina é usada na fabricação de objetos plásticos, como isolante antichamas e até na produção de concreto. Quando ingerida, especialmente por crianças, pode provocar graves problemas de saúde, como cálculos renais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG