China comemora 60 anos de comunismo com parada de 200 mil

A China deu início nesta quinta-feira às comemorações de 60 anos de fundação da República Popular, estabelecida em 1949 pelo partido comunista sob a liderança de Mao Tsé-tung. Uma grande parada militar e civil marcou a abertura das celebrações.

BBC Brasil |

O evento, que durou 3 horas, contou com mais de 200 mil soldados e civis marchando em formações, numa demonstração do poderio militar e disciplina popular chinesa. O desfile, que ocorreu na Praça da Paz Celestial, começou às 10 horas da manhã no horário local e foi até o meio-dia.

Reuters

Milhares de soldados e centenas de veículos militares desfilam

Após saudar as tropas, o presidente Hu Jintao fez um discurso elogiando a vitória comunista em 1949 e o estabelecimento da República Popular sob a liderança de Mao Tsé-tung. Ladeado por outras autoridades do partido como o ex-presidente Jiang Zemin e o premier Wen Jiabao, Hu disse do palco erguido em frente à praça que "só o comunismo pode salvar a China". O líder também afirmou que o país deve aderir "inabalavelmente ao socialismo com características chinesas" e acrescentou que "apenas com reformas e abertura" o país conseguirá continuar a se "desenvolver".

O presidente voltou a reforçar que apesar da demonstração de poder militar a China vai "inabalavelmente perseguir uma política externa de paz e cooperação amistosa" com outras nações por um "mundo pacífico" e "harmônico".

Após o discurso de Hu Jintao, o Exército fez uma parada de 14 pelotões de soldados marchando e inúmeros veículos carregando mísseis, aviões de espionagem e artilharia pesada nunca antes vista em público.

Desfile

À parada militar se seguiu um colorido desfile de civis vestidos em roupas típicas representando das 56 etnias que vivem na China e diversos carros alegóricos retratando momentos positivos da história recente, como as missões espaciais, os Jogos Olímpicos e a evolução tecnológica experimentada pelo país.

AP
Principais líderes políticos chineses aplaudem desfile na Praça Tiananmen
Principais líderes políticos chineses aplaudem desfile na Praça Tiananmen

À noite está previsto um jantar de gala e queima de fogos. Os fogos de artifício deverão iluminar o céu de Pequim por 30 minutos à partir das 21h00. Estima-se que o total de explosivos será duas vezes maior do que o utilizado durante as comemorações dos Jogos Olímpicos.

Um grupo de quatro mil autoridades e convidados VIPs, entre eles o famoso ator de filmes de ação Jackie Chan, participarão do jantar de gala no Grande Hall do Povo, que contará com uma apresentação da cantora Liu Yuanyuan, outra celebridade nacional.

Segurança

O esquema de segurança para as comemorações de 60 anos de fundação da Republica Popular da China é mais complexo do que o adotado durante os Jogos Olímpicos em 2008. Mais de um milhão de voluntários ajudaram a polícia a patrulhar a cidade para garantir que não houvesse surpresas desagradáveis.

AP

Símbolo de poder, tigre dourado é conduzido durante desfile

Os acessos a Pequim foram fechados e para entrar na cidade era necessário passar por postos de identificação. O espaço aéreo permaneceu bloqueado durante o desfile. A rede de transporte público foi suspensa e o comércio não abriu as portas nesta quinta-feira. Os moradores da capital foram encorajados a acompanhar a celebração pela TV, pois apenas 30 mil convidados do governo tiveram acesso às cercanias da Praça da Paz Celestial.

O esquema de segurança foi reforçado depois que ocorreram casos suspeitos de violência na capital às vésperas da comemoração. Dois esfaqueamentos em público e a explosão de um restaurante muçulmano deixaram as autoridades em alerta nas últimas semanas.

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinachinesescomunismomao tsé-tung

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG