China celebra aniversário de Mao com atos oficiais e crescente apatia popular

PEQUIM - A China celebra hoje o 115º aniversário do nascimento de Mao Tsé-tung, o fundador do atual regime comunista, com atos oficiais e homenagens na localidade natal do Grande Timoneiro, mas grande parte dos cidadãos do país lembra o aniversário com cada vez mais apatia.

EFE |


Reuters
Pessoas assistem queima de fogos em praça dedicada a Mao Tsé-tung, em Shaoshan

Shaoshan, a localidade da província de Hunan, onde o líder comunista nasceu, em 1893, inaugurou uma praça dedicada a Mao, com uma grande estátua de bronze de 10,1 metros de altura, como ato mais importante deste ano.

O secretário-geral do Partido Comunista Chinês em Hunan, Zhang Chunxian, foi o encarregado de inaugurar a obra, indicando que expressa "a eterna reverência, admiração e lembrança desta província pelo presidente Mao".

Embora milhões de pessoas ainda visitem Shaoshan para conhecer a história deste personagem que marcou a história chinesa no século XX, em cidades como Pequim, onde o retrato de Mao pendura na Praça da Paz Celestial, quase ninguém celebra o dia de hoje.

Reuters
Minifestantes comemoram o aniversário de Mao em Shaoshan


"Se voce perguntar às pessoas que dia é hoje, certamente 90% respondem que é Natal, não o aniversário de Mao", disse à Agência Efe Li Qianxi, uma vendedora de souvenirs.

Mao se transformou, de fato, em um ícone para as camisetas, os relógios, as estatuetas e outros objetos de lembrança vendidos nas lojas para turistas de todo o país.

O Grande Timoneiro foi o líder máximo da China entre 1949 e 1976, ano da morte de Mao.

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG