China calcula US$ 9,5 bi de perdas com terremoto

O governo da China informou que as empresas sofreram perdas diretas de 67 bilhões de yuans (cerca de US$ 9,5 bilhões) com o terremoto da semana passada, um volume que provavelmente deve aumentar, uma vez que contínuos abalos secundários mantêm as empresas nas áreas afetadas fechadas. A estimativa foi feita pelo vice-ministro do Ministério de Indústria e Informação, Xi Guohua, durante entrevista à imprensa.

Agência Estado |

Ele não detalhou as perdas.

O cálculo foi feito à medida que o número de mortos em conseqüência do terremoto aumenta rumo aos 50.000. O epicentro do tremor, que a China mediu como magnitude de 8 graus, foi na área rural da província chinesa de Sichuan. Cidades vizinhas registraram menos danos, mas réplicas do terremoto continuam sacudindo a região.

A AIR Worldwide, empresa de modelos de riscos de catástrofes, estima que as perdas nas propriedades danificadas deverão superar US$ 20 bilhões. O Banco Agrícola da China, maior cedente de empréstimos para zonas rurais, disse que espera registrar mais de 6 bilhões de yuans em empréstimos. O vice-presidente do banco, Zhang Yun, disse também que 90 unidades do banco em Sichuan ainda não conseguiram retomar as operações, mas a extensão do impacto do terremoto nos negócios foi limitada.

Economistas disseram que o terremoto deve ter um impacto limitado e temporário na economia chinesa, uma vez que Sichuan representa 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O PIB da China cresceu 10,6% no primeiro trimestre do ano, após avanço de 11,9% em 2007. Segundo artigo do jornal estatal China Securities Journal, citando analistas locais, o terremoto pode tirar de 0,2 a 0,7 ponto porcentual do crescimento anual da economia chinesa este ano. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG