China bloqueia 140 mil láginas WAP por pornografia

Pequim, 16 mar (EFE).- A China fechou 140 mil páginas WAP (Wireless Access Protocol, usado para acesso sem fios à internet com uso de telefones celulares) por seu conteúdo pornográfico após cinco meses de investigação, assegurou o Escritório Nacional Contra as Publicações Pornográficas e Ilegais.

EFE |

"O próximo passo é controlar as páginas WAP de conteúdo pornográfico que operam no exterior, já que muitos estão sendo transferidos a outros países para evitar o controle", afirmou o diretor do Escritório, Zhou Huilin.

Segundo o jornal oficial "China Daily", a investigação aconteceu principalmente nas províncias de Pequim (norte), Xangai, Zhejiang, Anhui, (noroeste) e Cantão (sul), onde a maioria dos serviços WAP estão registrados.

A última campanha da China contra estes conteúdos na Internet, em 2009, causou a detenção de quase 5.400 pessoas e um total de 9 mil páginas ilegais e pornográficas também foram fechadas.

Embora as autoridades afirmem que o objetivo é eliminar conteúdos eróticos na rede, os grupos defensores da liberdade de imprensa e expressão garantem que há também a intenção de censurar conteúdos fora da linha do Partido Comunista da China, do Governo.

Segundo a ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF), a China tem a tecnologia de censura mais sofisticada do planeta, o que não foi obstáculo para que o país se tornasse o maior utilizador de internet do mundo, com 384 milhões de pessoas, dos quais 233 milhões (60,8%) acessavam a internet por seus celulares. EFE egs/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG