China aumenta segurança na fronteira com Tibete perante possíveis protestos

Pequim, 9 mar (EFE).- A China aumentou a segurança na fronteira com o Tibete na véspera do 50º aniversário da revolta dos tibetanos contra o domínio de Pequim, informou hoje a agência oficial de notícias Xinhua.

EFE |

"Aumentamos os controles nos portos fronteiriços e nas zonas-chave ao redor da fronteira com o Tibete", assegurou Fu Hongyu do departamento de controle de fronteiras pertencente ao Ministério da Segurança Pública.

"Tomaremos medidas enérgicas em atividades criminosas que sejam realizadas na fronteira com o Tibete e que possam representar uma ameaça para a soberania da China e do Governo", sentenciou Fu durante a sessão anual da Assembleia Nacional Popular (ANP, Legislativo).

Por sua parte, o Dalai Lama disse que os líderes chineses se sentem "ameaçados" pelo "budismo tibetano" e tachou de "triste" a atual situação no Tibete.

A fracassada rebelião de 50 anos atrás desembocou no exílio do Dalai Lama na Índia com o consentimento do então primeiro-ministro da Índia Jawaharlal Nehru, e desde então os tibetanos no exílio foram construindo suas instituições em Dharamsala e seus arredores.

EFE mmp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG