PEQUIM (Reuters) - Quatro norte-americanos foram detidos tentando entrar com mais de 300 Bíblias na China, segundo a imprensa estatal chinesa e um membro da entidade responsável pela ação. Patrick Klein, fundador do grupo missionário Visão Além das Fronteiras, e três voluntários foram detidos no domingo no aeroporto de Kunming (sul da China), mas já foram liberados, segundo Dyann Romeijin, coordenadora regional do grupo.

'Eles confiscaram todas as Bíblias, 315 no total, e lhes disseram que só uma pessoa poderia entrar', disse ela à Reuters.

O regime comunista chinês controla rigidamente a atividade religiosa no país, e só templos oficialmente autorizados podem funcionar. Há freqüentes críticas internacionais às restrições e à prisão de pessoas que tentam seguir sua fé de forma independente.

A agência estatal de notícias Xinhua disse que os norte-americanos precisariam de aprovação para importar as Bíblias.

'Pela lei chinesa, cada visitante no exterior é autorizado a trazer não mais do que três unidades básicas (livros, volumes ou caixas) de materiais religiosos impressos ou visuais ou publicações em áudio para seu uso próprio', disse o texto.

A China prometeu Bíblias gratuitas em inglês e chinês, com o logotipo dos Jogos de Pequim, para atletas e turistas durante a Olimpíada, que vai até domingo próximo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.