China apreende 300 Bíblias com norte-americanos

PEQUIM (Reuters) - Quatro norte-americanos foram detidos tentando entrar com mais de 300 Bíblias na China, segundo a imprensa estatal chinesa e um membro da entidade responsável pela ação. Patrick Klein, fundador do grupo missionário Visão Além das Fronteiras, e três voluntários foram detidos no domingo no aeroporto de Kunming (sul da China), mas já foram liberados, segundo Dyann Romeijin, coordenadora regional do grupo.

Reuters |

'Eles confiscaram todas as Bíblias, 315 no total, e lhes disseram que só uma pessoa poderia entrar', disse ela à Reuters.

O regime comunista chinês controla rigidamente a atividade religiosa no país, e só templos oficialmente autorizados podem funcionar. Há freqüentes críticas internacionais às restrições e à prisão de pessoas que tentam seguir sua fé de forma independente.

A agência estatal de notícias Xinhua disse que os norte-americanos precisariam de aprovação para importar as Bíblias.

'Pela lei chinesa, cada visitante no exterior é autorizado a trazer não mais do que três unidades básicas (livros, volumes ou caixas) de materiais religiosos impressos ou visuais ou publicações em áudio para seu uso próprio', disse o texto.

A China prometeu Bíblias gratuitas em inglês e chinês, com o logotipo dos Jogos de Pequim, para atletas e turistas durante a Olimpíada, que vai até domingo próximo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG